Enxerto em árvores frutíferas: como fazer

09/07/2018 - 1:02 288 Views

Desde muito tempo, o homem percebeu que a natureza é dinâmica. Como exemplo disso, observou o mundo vegetal e notou que é possível dar origem à uma nova planta pelo cruzamento de duas ou mais espécies diferentes. Esse cruzamento pode acontecer de modo natural, pela ação do tempo, ou através da prática da enxertia, feita pelo homem. Isso porque quando os tecidos de plantas diferentes se juntam, continuam crescendo como uma só, com a possibilidade de obter as boas características de ambas.

Sendo assim, uma planta enxertada é composta de partes de duas ou mais plantas. O enxerto pode ser feito pela união de dois caules, quando notarmos que o tecido celular das plantas oferece condições favoráveis para isso. E quando recorrer ao enxerto? Por exemplo, quando a raiz da muda de uma árvore frutífera não cresce, ou cresce com dificuldade, pode ser útil fazer um enxerto para melhorar suas condições de desenvolvimento.

Normalmente, a enxertia é feita por métodos diferentes, que são a garfagem, a borbulhia e a encostia. Na enxertia por garfagem, unem-se as cascas de ambas as plantas com o uso de um garfo; já na borbulhia, o enxerto é feito com uma gema, ou seja, pequena parte destacada da formação inicial do ramo, com certa porção de casca; e por fim, a encostia, quando se juntam as plantas inteiras para que seus tecidos se encostem e se unam.

Qual é o melhor método para quem é principiante? Com certeza, é a enxertia em T, muito usada por agricultores. A primeira coisa a fazer é escolher as plantas que quer enxertar. Uma delas pode ser mais frágil, desde que, unindo-se a uma outra mais forte, que tenha condições de crescer e frutificar. Faça um corte profundo na planta, de modo a atingir a camada interna da casca e retirar um gomo (1). Este será o galho receptor da gema. Depois, faça um corte em T na outra planta escolhida (2), de onde você irá retirar a gema. Encaixe o pedacinho que você recortou na planta receptora (3).

Para segurar o enxerto, é recomendado usar uma fita adesiva para unir as duas partes (4), pois o processo é o mesmo de uma cicatrização: no início, a ferida aberta precisa de uma atadura, para depois, com o tempo, ir fechando. E o que nasce dessa união com a enxertia? Uma árvore nova que apresenta as propriedades de duas plantas diferentes (5).

Com a enxertia, é possível melhorar e muito a produtividade das plantas, especialmente para obter flores e frutos. Isso porque tornam-se mais resistentes, sofrem menos infortúnios devido a mudanças climáticas, e adquirem raízes que se adaptam melhor ao solo. É claro que requer trabalho e dedicação, mas no fim, consegue-se juntar as melhores características de duas plantas em uma só e ter um ótimo resultado!

Comece experimentando a enxertia na sua casa, no seu jardim ou quintal, e aproveite para desenvolver plantas orgânicas que lhe darão frutos saudáveis e saborosos!

Gostou do nosso artigo? Compartilhe com os seus amigos no Facebook!